quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

New York, New York - Parte 1 - o pré prova

Esse é um dos posts mais complexos que fiz, está difícil. Já tem 1 mês que a prova já se foi e finalmente eu acho que consegui terminar a PARTE 1. Em breve vem o resto...

--------------------

Pode perguntar pra qualquer corredor: Qual a maratona dos seus sonhos? Eu posso te dizer que certamente você vai ouvir Nova York como resposta. Os comentários sobre ela são sempre parecidos “é uma prova difícil, muita subida no final, mas a galera te empurra, a prova é animal”.

Bom, como sabemos, cada pessoa tem um parâmetro, o que é fácil pra um é difícil pra outro, e o que significa esse monte de subida? Brigadeiro? Biologia? Reitoria? E a galera, quantos são na rua te empurrando? Mas todos concordam num ponto: é a corrida mais mágica que fizeram.

Na minha lista de maratonas eu sempre inclui Nova York, mas com esses comentários, eu sempre a deixei lá pra frente. Chicago, Berlin, Londres, Alaska, Kilimanjaro e Bagdá sempre apareceram na minha lista bem na frente de NY.

Numa breve retrospectiva, ao estilo Lost, (previously in this Blog) comentei que fiz a maratona de Paris e que, depois de uma surpreendente Meia do Rio fui comemorar os resultados com uns amigos corredores. Depois de horas conversando sobre as “Mais Fantásticas Corridas do Universo” e alguns vários chopps, eu vi que ainda não tinha uma prova-meta para fazer no 2o semestre e eu estava muito empolgado com a corrida.

Pensei em fazer triathlon, mas só de lembrar nos treinos puxados deixei pra lá. Pensei seriamente em alguma maratona, mesmo lembrando da carga de treinos. Tinha 3 boas opções: Berlim, Chicago e Nova York. Como o tempo estava curto (ainda precisava recuperar da maratona e reiniciar os treinos), quanto mais pro fim do ano seria melhor, sendo assim Nova York apareceu como forte candidata. Uma breve conversa com o Cesar e Marcos Paulo, fui alertado do risco que é fazer 2 maratonas em pouco tempo, seriam apenas 7 meses entre uma e outra. Falei com a Kamel Turismo e no feriado do 9 de julho estava tudo acertado.

E foi assim que eu fui parar na prova mais desejada do mundo. De sopetão!

Os treinos foram bons, coloquei muitas subidas durante essa primeira fase. Tempos melhores do que os treinos para Paris. Meus tempos caiam na mesma medida que a elevação do solo subia! Nunca subi tanto a Biologia!

A 2a fase da minha preparação começou numa manhã ensolarada de setembro, onde tudo parecia normal, menos para minha panturrilha, que arriou no 26k. Sofrimento, estaleiro, resguardo. Prevenção. Tudo para evitar uma lesão maior. Mas o Seu Aquiles apareceu junto. Ai foram 40 dias de fisioterapia, alongamentos, deep running e musculação. Dias intensos, quase 3 horas por dia de tratamento e muitas dúvidas sobre minhas condições (nesse caso mais mentais do que físicas).

Parece que funcionou, 4 semanas antes da prova comecei meus primeiros trotes e as corridas se incorporaram com o resto, ai eram quase 4 horas por dia.

A 3a é última fase dos treinos começou assim, e a cada semana aumentava 7k no treino longo. Cheguei a fazer 24k uma semana antes da prova. Agora num ritmo bem mais lento do que o de Paris.

Sem ter muita opção e esperando o fim das dores, embarquei para NY. Chegando lá minha grande dúvida era se a panturrilha e o Aquiles aguentariam e me deixariam terminar a prova.

Nunca tinha estado em NY. A cidade realmente pára para a corrida. Pra tudo que é lado existe alguma menção sobre a corrida. A cidade respira a maratona.

Ônibus da cidade falando da maratona

Fui na feira da maratona pegar meu número, chip e comprar uns souvenirs. Que loucura! A feira da maratona é gigantesca, muitos materiais, camisetas, shorts, porta trecos, tênis, tudo da maratona. Enlouquece qualquer corredor. E os não corredores também.

Número em mãos!


Foto em frente ao circuito (Doca, Filippo e Ricardo)


Chip estilo pulseira (descartável, não precisa tirar depois da prova)

No Sábado de manhã encontrei com o pessoal da MPR na frente do The Plaza Hotel (esse mesmo, o do Macaullin no filme Esqueceram de Mim). Enquanto esperávamos o pessoal chegar, Lance Armstrong (o ciclista e não o astronauta, como muita gente acha) apareceu por lá e desejou uma boa prova para nós.

Foto oficial do treino

De lá partimos para o Central Park dar um leve trote de uns 30 minutos. Não sei se foi uma boa ideia ter corrido ali, pois passamos justamente no 41k da prova e ai deu pra sentir o que nos esperava. Ali realmente era só subida, desculpa, um sobe e desce forte, bem inclinado, não muito longo, mas muito intenso. Se correndo num ritmo de 6:30 e com apenas 5 minutos de trote já cansava, eu não conseguia imaginar como eu passaria ali com uma 4 horas de prova. Para ser sincero, esse trote foi muito desanimador!

Foto pós treino (Adilson de Jeans - será que ele treinou? rs)

Pra piorar, esse dia era o 31/10 ou seja era o Halloween. Com todo o medo e expectativas criadas pela prova, não era nada encorajador encontrar nas ruas milhões de dráculas, vampiros, Jasons, entre outros. Por outro lado ver crianças de superman, fada madrinha, minie descontraiam o clima.

Ainda bem que ninguém teve a ideia de se vestir como o Padre Cornélius (aquele idota irlandês que atacou o Vanderlei nas Olimpíadas).

No hotel uma verdadeira balada de Halloween. A minha noite pré maratona parecia que seria um verdadeiro inferno, palco de um digno Dia das Bruxas. O cenário não era nada convidativo para um corredor. Pessoas fantasiadas e música alta, junto com a ansiedade da prova, ingredientes perfeitos para não dormir mas, não sei como dormi muito bem!

Fui com o Filippo e com o Ricardo no domingo cedo para pegar o busão para a largada! Antes disso, as 5h um café da manhã reforçado no hall do hotel, enquanto comíamos pães com queijos, frutas e sucos, alguns dráculas e diabinhas voltavam das baladas e desejavam boa prova.

Fomos para a 5a avenida e o cenário era assustador. Realmente um Halloween. Parecia aqueles filmes em que estão evacuando as cidades. Catástrofe à vista! Todos andando em fila, uns 100 ônibus estacionados, policia com mega fones, bombeiros, ambulâncias para tudo quanto era lado. Por alguns instantes estava esperando aparecer um monstro destruindo os prédios de Manhatann ou cair um meteoro do meu lado. Pânico geral! Mas o medo de todo mundo era a corrida mesmo. O frio e a leve garoa que caia contribuiram para esse cenário de fim dos tempos.

O busão foi bem rápido, passando pelo mesmo local que passaríamos mais tarde, porém mais devagar e menos tensos.

A espera para a largada é longa. Mais longa que o tempo do voo. Mais longa que as aulas de deep reunning. Mais longa que os treinos longos. Mais longa que qualquer fila de banco em dia chuvoso. Mais longa que a espera do pedágio da Imigrantes em véspera de Ano Novo. Mais longa e chata do que qualquer coisa que você possa imaginar.

6:20 começou a chover, uma leve garoa. Entrei numa tenda, cheia, apertada, gente pra tudo que é lado. Eu e o Filippo ficamos num canto com metade do toldo na nossa cabeça. Filippo deitou e dormiu. Eu lá, sentado, firme e forte, apenas pensando. Sem nada pra ler, só fazendo contas, de quanto equivalem cada milha, cada pace em milha, contas, números, expectativas, repassando o cronograma, tudo.

Agora olho no relógio e já são 6:23. Quando falo que o tempo não passa não é brincadeira não.

As 8:30 o Filippo foi para sua largada. Banheiro (xixi ainda bem!). Comecei a tirar os trajes (calça, moleton) e deixo tudo no guarda volumes. Banheiro de novo (xixi de novo! Graças a Deus!). Agora o tempo voou e já são 9:20 e ainda preciso guardar todos os geis, lenço, tempo de prova, será que faltou alguma coisa? Encontro outros brasileiros, vamos conversando e a tensão só aumenta.


Chego no portão de entrada, tudo mega organizado, procuro minha Wave, meu gate e pronto. Agora já estou com o gorro pink do Dunkin Donuts, cobertor da American Airlines, luva e esperando o tiro de largada!

3 comentários:

Lweco disse...

Gostei! Boa... muito boa!

Estela disse...

FINALMENTEEEEE AS ATUALIZAÇÕES!!!
Doca, vc ta famoso, hein???hahahahha
muito legal o post no blog correria com a sua pergunta!!!!!
QUE DEMAISSSSSSSSSSSSSSSSSSSSS as noticias sobre a maratona! Deve ser um clima contagianteeeeeeeeeee!!!!!!!
to esperando o final da historia!
beijao

Estela disse...

a parte 2 ta demoradaaaaa...kkkkkkk